Info! Please note that this translation has been provided at best effort, for your convenience. The English page remains the official version.

AFRINIC-23 Ata da Reunião do PDWG

Imprimir amigável, PDF e e-mail

AFRINIC-23 - Grupo de Trabalho de Desenvolvimento de Políticas - Sessão de PDP,

Pointe Noire, Congo.

Ata da reunião - Data: 03 dezembro 2015

 

Agenda:

  1. Boas-vindas e revisão da agenda
  2. Visão geral do processo de desenvolvimento de políticas (PDP)
  3. Relatório sobre propostas de políticas recentemente ratificadas.
  4. Resumo das propostas de políticas em discussão em outras regiões.
  5. Proposta de política: Uso fora da região de recursos de números da Internet da AFRINIC.
  6. Proposta de política: Política de transferência de recursos numéricos.
  7. Construção de consenso no AFRINIC PDP.
  8. Relatório de Experiência de Implementação de Política
  9. Microfone aberto
  10. Encerramento

 

1.0 Bem-vindo

Seun Ojedeji (o copresidente do PDWG) deu as boas-vindas a todos no Grupo de Trabalho de Desenvolvimento de Políticas, afirmou que a sessão começou tarde devido ao longo item da agenda anterior e compartilhou a agenda.

 

2.0 Visão geral do PDP

Seun Ojedeji apresentou o Processo de Desenvolvimento de Políticas (PDP) para a reunião. Ele afirmou que o PDP é baseado em 3 princípios de abertura, transparência e justiça, e indicou que qualquer pessoa pode participar iniciando novas propostas ou discutindo propostas e políticas já ativas. Ele passou pelo processo que uma nova proposta passa desde o momento em que é criada, passando por discussões na mailing list, apresentação ao público presencial
reunião de política e até ao momento da sua implementação pela AFRINIC.

Seun indicou que deveriam haver dois copresidentes de acordo com o PDP, mas o outro copresidente (Barry Macharia) renunciou em 02 de dezembro de 2015, por motivos pessoais. Ele perguntou se os membros acham que o outro co-presidente deve ser eleito antes que a sessão possa continuar. Várias pessoas indicaram que devem existir dois co-presidentes antes do início das discussões do PDP. Mark Elkins e Andrew Alston nomearam Sami Salih como copresidente para completar o restante do mandato de Barry. Christian Bope apoiou a nomeação de Sami.

Seun pediu a Ernest para coordenar o processo de substituição do co-presidente. Ernest indicou que há uma indicação permanente de Sami e perguntou à platéia se havia mais indicações. Não houve outra indicação e Ernest pediu a Sami que fosse ao microfone e falasse à comunidade sobre suas capacidades para a tarefa. Após o discurso de Sami, Ernest pediu um braço no ar a favor e contra a indicação de Sami. Sami foi selecionado pela maioria e foi anunciado como co-presidente substituto até junho de 2016. Seun deu as boas-vindas a Sami e agradeceu a Barry por sua contribuição para a comunidade.

 

3.0 Relatório sobre propostas de política recentemente ratificadas

Ernest informou a comunidade sobre as seguintes propostas de política implementadas recentemente:
• Reservas de recursos numéricos para pontos de intercâmbio da Internet: a política foi aprovada pela comunidade (por consenso) em junho de 2015 durante a reunião de Túnis, foi ratificada pelo Conselho da AFRINIC em agosto de 2015 e está em processo de implementação pela equipe da AFRINIC. A implementação esperada é por volta de fevereiro de 2016.
• Tarefas Anycast na região de serviço AFRINIC: Esta proposta de política já foi implementada.

 

4.0 Resumo das propostas de políticas em discussão em outras regiões.

Ernest convidou representantes de outros Registros Regionais da Internet (RIRs) para compartilhar quaisquer propostas de políticas interessantes atualmente em discussão em seus respectivos fóruns de políticas.

Ingrid Witje compartilhou o seguinte do RIPE:

  • A revisão dos últimos / 8 critérios de alocação está em discussão
  • A política de transferência de recursos do RIPE está "sob revisão"
  • As seguintes políticas foram ativadas recentemente:
    • Política para interRIR transferência de recursos RIPE.
    • Alinhamento dos requisitos de transferência para IPv4
    • Revisão dos critérios de avaliação para solicitar o primeiro IPv6 alocações.
  • A proposta de política para remover o requisito de multi-homing para ASNs foi retirado pelos autores.

Anton Strydom compartilhou o seguinte do APNIC:

  • Propostas que alcançaram consenso e estão pendentes de endosso pelo APNIC Conselho executivo:
    • Modificação de IPv4 critério de eleição. Uma vez implementado, o APNIC nãomais pergunte aos solicitantes de IPv4 espaço sobre seu multi-homing e peeringplanos.
    • Modificação de ASN critérios de elegibilidade: uma vez implementado, o APNIC nãomais pergunte aos solicitantes de ASNs para fornecer dois pares como o absoluto requisito para obter um ASN.
  • Propostas em discussão na lista de discussão:
    • Informações detalhadas sobre a atribuição: A proposta exige que o APNICmembros registram informações detalhadas de seus clientes (que foram endereços IP atribuídos) no whois banco de dados para ajudar os operadores de rede a mais específico ao filtrar tráfego indesejado. A proposta não conseguiu alcançar consenso em APNIC 39 e APNIC 40 

David Huberman compartilhou o seguinte de ARIN:

  • Os itens a seguir foram aprovados pelo Conselho e serão adotados:
    • Modificação dos critérios para inicial IPv6 atribuições: uma empresa podereceber um IPv6 atribuição de ARIN se houver 13 sites onde o IPv6 espaço será implantado.
    • Modificar 8.2 do manual de política ARIN para esclarecer melhor como o ARIN lida comreorganizações, fusões e aquisições.
  • O seguinte está em discussão:
    • Modificação deRIR requisitos de transferência: Atualmente, transferênciaos destinatários podem se tornar uma fonte de transferência somente após um período de 12 meses depois de receber um recurso transferido. Esta proposta remove o 12-restrição de mês.
    • Uso fora da região: A proposta permite que recursos ARIN sejam usados ​​foraa região ARIN.
    • Elimine a avaliação com base nas necessidades para transferências: A proposta permitedestinatários da transferência para não demonstrar a necessidade de IPv4 espaço de endereço sendo transferidos para eles.
    • Mínimo IPv6 atribuições: A proposta visa definir o mínimo IPv6atribuição a / 56 (de / 48).

Ernest compartilhou a seguinte proposta aberta de LACNIC:

  • IPv4 Política de exaustão com devolução programada de grandes blocos não utilizados (IPv4): Dentro a fim de forçar a migração de IPv4 para IPv6, Grande IPv4 os usuários devem retornar anualmente 1/15 do que foram emitidos para uso por membros menores. Isso seria encorajar grandes usuários a implantar IPv6.

 

5.0 Proposta de política:Uso fora da região de recursos de números da AFRINIC na Internet.

Douglas Onyango, o autor, compartilhou os seguintes destaques da proposta:

  • A política atua como um impedimento para qualquer organização localizada fora da região da Áfricapara solicitar e adquirir espaço da AFRINIC para uso fora da região.
  • O autor está ciente do fato de que alguns ISPs podem estar localizados na África, mas teriamclientes fora da África.
  • A proposta não deve ser aplicada em exclusão mútua. Outras condições, como oanálise baseada nas necessidades de avaliação IPv4 os pedidos devem permanecer.
  • Até 40% dos recursos mantidos por um LIR podem ser usados ​​fora da região.
  • A equipe da AFRINIC pode realizar pesquisas e análises periódicas para verificar o uso dea IPv4 recursos numéricos.
  • A proposta será aplicada retrospectivamente.
  • Douglas mencionou que alguns comentários recebidos na reunião anteriorjá foi incorporado à versão que está sendo discutida.

Após a apresentação de Douglas, Ernest apresentou uma avaliação da equipe da proposta que
destacou os seguintes itens:

  • A equipe indicou que a seção 3c é difícil de implementar - e que a proposta precisa ser o mais claro possível sobre quais métodos a equipe pode usar para medir e determinar o uso fora da região.
  • A AFRINIC não pode implementar esta proposta conforme redigida por causa desta cláusula (3c). Sami abriu a palavra para comentários e perguntas dos membros da comunidade presentes:
  • Uma série de indivíduos apoiaram a proposta, pois ela protege o número da Áfricarecursos, mas expressou preocupação com os 40%, afirmando que isso não deveria ser lá. (Deve ser zero).
  • Houve sugestão de reduzir o percentual de 40% para 20%.
  • Um membro afirmou que os recursos da África devem permanecer exclusivamente na África eportanto, não apóia a proposta.
  • O processo de usar a tabela de roteamento global para determinar se um recurso é usado da região é falha, pois muitos números podem aparecer em uma região, mas usados ​​em outro lugar. 
  • Isso é algo muito técnico que o pessoal não consideraria viável de usar.
  • Para entender o contexto do problema, foi solicitado que a AFRINIC fornecesseum status detalhado de todos IPv4 endereços - quem os usa e onde.
  • Os recursos devem ser usados ​​com base na finalidade inicial para a qual os recursos foram emitidos para AFRINIC, independentemente de lacunas e exclusões de política.

Os co-presidentes determinaram que não havia consenso sobre a proposta de política, que foi enviada de volta para discussão na lista de mala direta do rpd, em linha com as disposições do PDP.

 

6.0 Proposta de política: Política de transferência de recursos numéricos

Mark Elkins, o autor, apresentou a proposta à comunidade. Ele afirmou que a proposta visa transferir IPv4 aborda dentro e fora da região AFRINIC, e também procura resolver a questão de onde um membro AFRINIC oferecendo serviços fora da África não pode obter IPv4 espaço do RIR servindo aquela região, deixando a única opção de transferi-los da AFRINIC para o RIR servindo o país onde estão as operações dessa empresa.

Ele também afirmou que outro RIRs já têm políticas de transferência e o AFRINIC também precisa de uma para ter processos consistentes. Mark indicou que baseou esta proposta no que ARIN está usando, e que a maior parte do conteúdo foi baseado na política do ARIN.

Mark assinalou que embora algumas pessoas tenham solicitado que a proposta inclua transferências entre organizações AFRINIC, a proposta pretende ser umRIR política de transferência, apenas
para transferências de fora para dentro da região e da mesma forma.


Sami agradeceu a Mark pela apresentação e pediu uma avaliação da proposta de
Equipe AFRINIC, se houver.

Ernest declarou as seguintes observações da avaliação da equipe:

  • O título da proposta é vago sobre se esta é umaRIR ou inter-RIR política de transferência.
  • Seção 2, que pretende ser um resumo de como a proposta aborda o problema na Seção 1, apresenta um tópico separado sobre transferências de recursos legados. Isso é muito questão crítica que deve ser introduzida separadamente na Seção 3 e ser removida da a seção de resumo.
  • Definição ou classificação dos vários tipos de transferências e um processo detalhado sobre como AFRINIC conduzirá cada uma dessas transferências está faltando na Seção 3.
  • A Seção 3b menciona "exaustão" de IPv4 espaço - isso é ambíguo - e deve ser claro sobre se isso se refere ao início da emissão do último / 8, ou a invocação de a política de pouso suave.
  • A Seção 3.1b refere-se à “mesma entidade comercial”. Isso precisa ser definido corretamente para não confundir a equipe AFRINIC com interpretação.
  • A seção 3 deve ser uma descrição completa da proposta. Um leitor que ignora o título, seção 1 e seção 2, mas lê a seção 3, precisa ser capaz de compreender o proposta inteira. 

Sami pediu comentários do plenário, e o seguinte feedback foi recebido:

  • A proposta tem uma das frases na declaração do problema que AFRINIC é um do RIRs sem uma política de transferência e precisamos dela porque outros a têm. o palestrante disse que não temos necessariamente que implementar algo porque outros feito, mas devemos verificar primeiro se é o que precisamos e é benéfico para o comunidades.
  • Vários membros afirmaram que o espírito da proposta não é muito bom, pois criauma oportunidade para os recursos saírem do continente, o que vai contra os nossos interesses.
  • Outros afirmaram que em nossas taxas de consumo atuais, também iremos eventualmente esgotar of IPv4 espaço e sem uma política de transferência, não seremos capazes de obter IPv4 espaço para 
  • AFRINIC do mercado em outras regiões, o que também será um problema para os negócios ema região.
  • Alguns membros indicaram que, uma vez que AFRINIC tem mais do que os outros, parece contra os nossos interesses, e que é melhor deixar a política nos deixar adquirir mais de fora do que de fora sendo capaz de adquirir facilmente espaço AFRINIC.
  • Houve uma sugestão de revisar ou criar umRIR política de transferência de modo que qualquer os membros que precisam de espaço podem adquiri-lo de outros membros AFRINIC que não precisa mais disso.
  • Vários membros reiteraram que a política não é adequada para o continente dado que cria uma oportunidade para estrangeiros tirarem proveito do continente, dado especialmente que esses estranhos, na verdade, nada têm a transferir para nós, mas apenas nós para eles.

Seun indicou que com base na natureza do diálogo, há necessidade de mais discussões, e a proposta deve voltar para a lista de discussão. Portanto, não houve consenso e o autor foi encorajado a pegar as contribuições da reunião e incorporá-las em sua próxima versão.

 

7.0 Construção de consenso no processo de desenvolvimento de políticas AFRINIC

Seun Ojedeji introduziu o tópico dizendo que não parece haver um processo de construção de consenso adequado e estruturado em torno do AFRINIC PDP e que, como co-presidentes, eles foram confrontados com a necessidade de garantir que as opiniões da comunidade sejam expressas de forma adequada nas decisões tomadas para determinar o consenso.

Seun afirmou que ele, Barry e Ernest deram um passo para documentar um processo que tenta definir as diretrizes que os copresidentes usam para determinar o consenso e que se a comunidade discutir e endossar, esta poderia ser a diretriz inicial (e funcionando documento) que ajudará os co-presidentes a determinar o consenso.

A partir do documento, Seun compartilhou as seguintes questões-chave que os co-presidentes procuram / procuram para determinar o consenso.

  • Nenhuma chamada de consenso: isso acontece quando a julgar pelas discussões, houve uma sensação clara de que não houve um acordo geral, caso em que os copresidentes não encontram precisa avaliar o mesmo na sala, fazendo perguntas.
  • Consenso para a última chamada: quando houver clareza adequada de que a proposta foi geralmentegostava de avaliar a partir das discussões na sala.
  • Consenso aproximado: a ideia é adotada a partir da abordagem IETF (em RFC7282) quando todosdas opiniões foram ouvidas, mas não necessariamente acomodadas, mas há acomodação significativa de pontos de vista para levar a proposta ao próximo nível (última chamada).
  • Objeções da comunidade: há um processo de resolução de disputas que é descritono PDP no caso de qualquer membro da comunidade contestar a decisão de consenso por os co-presidentes do PDWG.

As seguintes questões despertam

  • Houve um comentário para esclarecer se esta é uma diretriz ou proposta de política. Seun afirmou que é uma diretriz e não realmente uma proposta de política.
  • Foi indicado que não havia tempo suficiente para a comunidade estudar o documentocaso qualquer forma de aprovação fosse buscada - e foi sugerido que os co-presidentes do PDWG poste na lista rpd para permitir que a comunidade discuta e forneça informações úteis comentários.
  • Outra sugestão foi basear o processo de consenso no processo da IETF comodefinido em RFC7282. Seun indicou que alguns pontos foram escolhidos na RFC, mas Recomendamos que mais sugestões sejam bem-vindas pela comunidade.

 

8.0 Relatório de experiência na implementação de políticas

Madhvi (Gerente de Serviços de Registro - AFRINIC) compartilhou o relatório de implementação da experiência política para a reunião e mencionou os seguintes destaques principais:

  • Foi descoberto que, para alguns membros, os critérios nos quais IPv4 o espaço era adquiridos mudaram, e isso está em conflito direto com o que a política e o RSA requer, que os critérios originais em que os recursos foram adquiridos não devem alterar.
  • Muitos membros ainda acumulam e reservam IPv4 espaço, e durante a auditoria da utilização desuas alocações anteriores (no momento em que solicitaram espaço adicional), está estabelecido que existem vários intervalos reservados e não utilizados. Membros deveriam ser informado que não há suporte para reservas, de acordo com as políticas.
  • Empresas off shore sem infraestrutura na região estão cada vez mais solicitandoEspaço de endereço IP. Eles geralmente têm algum tipo de endereço físico ou virtual dentro do região, mas toda a sua infraestrutura está localizada fora da região.
  • Ao avaliar as solicitações de alocação subsequentes, uma auditoria das atribuições registradasde alocações anteriores. Alguns membros se recusam a registrar atribuições corretamente, se for o caso, tornando impossível avaliar seus pedidos de Recursos.
  • Existem muitos pedidos de ASNs de membros que não possuem multi-homing concreto planos. Os membros devem mostrar os pares com os quais planejam fazer o uplink, com provas verificáveis antes de um ASN pode ser atribuído.
  • Membros com problemas de rDNS podem ser afetados pela implementação do “NãoReverter a menos que atribuído ”e deve contatar a AFRINIC se o problema persistir.

Madhvi pediu aos membros que usassem o Processo de Desenvolvimento de Políticas no caso de sentirem que algumas políticas não são bem interpretadas pela equipe ou que algumas questões não são tratadas por nenhuma política ativa em particular.

 

9.0 Microfone aberto

Um membro perguntou se é necessário informar a AFRINIC se sua infraestrutura (onde os recursos IP são implantados) mudou de uma cidade (no mesmo país) para outra. Madhvi afirmou que as necessidades e os critérios terão mudado e que, portanto, é necessário revisar esse cenário para garantir que a necessidade desses recursos ainda seja demonstrada. Ela afirmou que o RSA e a política têm cláusulas sobre isso e que é muito claro.

 

10.0 Fechamento

Os co-presidentes encerraram a reunião em 1900, agradeceram a todos por participarem ativamente e desejaram a todos uma boa viagem para casa e solicitaram que as discussões continuassem na lista de mala direta.

 

Última modificação em -
Data e hora nas Maurícias -